quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Todos e Ninguém!


"Ame a todos.
Confie em poucos.
Não faça mal a ninguém!"

- William Shakespeare -

Não há!


Há luz sem Sol
Há brilho sem estrelas
Há amor sem calor!
Há rosa sem espinhos...
Há marinheiros sem mar...

Exalta-se o fim?

Vem tudo em direcção a mim...
Sem jeito
Sem cor!
Sem sabor....

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Não agrades a todos!


"Eu não sei qual o segredo do sucesso,
 mas o segredo do fracasso é tentar agradar toda a gente!"

 
-Bill Cosby-

Porque sonhando...


Noite fria e escura, o nevoeiro faz com que a minha visão fique ainda mais turva e o meu coração ainda mais confuso! Procuro um lugar secreto em mim, procurando desesperadamente o aconchego do quente, uma almofada que possa abraçar e perguntar: "Porquê tantos porquês?"
Acabo por adormecer, onde confundo os sonhos com a realidade, onde os sentimentos são um remoinho e o vento enfurecido faz com a minha alma fique diabólica e que caia na tentação de acordar e querer que o sonho se prolongue.
Os meus olhos não se querem abrir, o meu coração, fechado a sete chaves baloiça...
Agora resta-me viver sobre assuntos sentimentais, que o subconciente teima em esconder...
Talvez um dia o divã do meu diário secreto os deixe de ocultar!
Até lá fico presa à minha realidade, vista de longe, num horizonte que é pintada numa tela secreta!

Vamos mudar!


A doença do querer bem condena os bons!
Mas há-de chegar o dia da justiça...
A justiça será feita!
Abas do vento,
Em que os céus será amigo de quem fez bem...
Mesmo amuando na Terra
Com todo o azar sem explicação
Há sempre espaço na justiça divina
Para quem tem coração.

Todos nós sem mapa
Temos uma missão no Mundo
Não temos nenhum código de barras
Mas temos todos competências para amar
E para fazer com que tudo entre os homens melhore!

Vamos participar neste concurso
E adoptar metodologias
Para que o Homem se reencontre.
Vamos unir forças
E dançar o Bem
Vamos adoptar estilos de amor e harmonia
E soprar o sorriso no coração daqueles que nos rodeiam!

Pois é...
Para este Mundo continuar
O Homem tem de mudar!
Do ponto zero...
Renascer
Aprender a viver.
Respeitar
Amar!

Controlar este problema de expressão
De sangue frio
E seja como for,
Com, ou sem torturas de amor

Vamos mudar o Mundo
É o nosso Mundo
São os nossos Homens!
Somos nós!
És tu
Sou Eu!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Cantemos FADO Portugal

Louca Tentação


A loucura é breve... o arrependimento longo e por vezes eterno...

Uma loucura pode ser um beijo, o arrependimento uma vida!

Uma loucura pode durar um minuto, o arrependimento pode durar anos!

É preferível cair na tentação da emocionalidade racional.

Desperdício


"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável mas o sofrimento é opcional."

 
-Carlos Drummond de Andrade-




Sinal de Ti!


Já não havia sinais de ti no teu olhar!
Andavas perdida.
Estavas ausente e distante.
A tua alma estava descolada do teu corpo.
O teu corpo estava perder a forma.
O teu olhar perdia de dia para dia todo o brilho.
Já não havia sinais de Ti!
Morrias aos poucos...
E já nem a Lua olhava para a tua figura.
Chegaste a esse palco
Sem saber por quem
Nem porquê!
E saíste dele
Sem flores
Nem aplausos!
Com medo de voar
Deixaste-te "por aí" ficar!
Eras só mais uma alma perdida
Sem saber como se encontrar...
Na segunda pessoa te viste
E retomar à vida decidiste!
Chegou a tua hora de viver
De te rever
De renascer...
Já estavas no último degrau
Agora recomeça
Como se fosse o primeiro
E quando não tiveres lá o corrimão
Conta com a tua própria mão!
Sempre com notícias de ti
Do teu amor por ti
Antes de quereres morrer de amor
Pelos outros e pelo Mundo!
Queres ser Rosa...
Sente o teu cheiro
E num segredo fechado
Vende esses espinhos
Do teu destino
Não programado!

sábado, 26 de novembro de 2011

Renovar-me-ia!


O primeiro passo seria viajar sozinha, sem qualquer contacto com este Mundo...
Depois seria inspirar um ar e cultura bem diferente.
Encontrar um refúgio em que o meu espírito se sentisse tranquilo, em paz!
Depois, esvaziar todo este peso, toda esta cruz, toda esta cor negra...
Reciclar o meu pensamento, romper paradigmas, destruir falsas verdades sobre a minha própria vida!
Renovar pilares e ganhar forças para regressar.
Para desapegar-me de tudo e conseguir um total esvaziamento de mim mesma.
E quando estivesse totalmente curada voltar... não com um disfarce, mas com um novo corpo!
Com uma nova cor...Com novo brilho!
Brilho que estou perder... dia para dia...

Monotomia


"Quando todos os dias ficam iguais
 é porque deixamos de perceber as coisas boas
que aparecem nas nossas vidas!"

- Paulo Coelho -

Castelos de Areia!


Era bem mais fácil se os castelos de areia que construímos como se de crianças nos tratássemos, desaparecessem sem rasto com uma simples onda...

Quando construímos expectativas através de sentimentos não correspondidos por exemplo...

Passar por esta praia e as nossas pegadas do passado serem levemente apagadas pela força da água... Sem nunca mais deixar rasto, mesmo olhando para trás!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Apetece-me SER!

Apetece-me sentir borboletas na barriga
Apetece-me voar
Apete-me rir como uma louca sem parar
Apetece-me ser uma formiga
Apetece-me no Tempo parar!

Apetece-me ser criança.
Apetece-me brincar
Apetece-me jogar às escondidas
Apetece-me receber uma aliança
Apetece-me sem limites amar!

Apetece-me ser "eu"
Apetece-me voltar atrás
Apetece-me dizer que afinal não escureceu
Apetece-me ser como o vento fugaz!

Apetece-me sentir Prazer!
Apetece-me SER!

Sorriso


"Nós não sorrimos porque somos felizes,
 nós somos felizes porque sorrimos."

-William James-

Jogar tudo ou nada!


À espera de quem não chega, perco tempo para mim e para quem realmente precisa de mim!
Quem me acude desta doença?
Amanhã, este amor louco é convertido em asa livre, reaprendo a ser feliz e rio das minhas próprias expressões tristes.... Mas, e até lá?!
Até lá, são pequenas paragens, de fim a fins, cantando canções de sofredora, como se de uma peregrina me tratasse.
Quero que venha uma onda e me leve tudo isto que há em mim.
Quero deixar o meu mundo girar e parar que esta maldita esfera me sufoque o respirar!
Quero o meu espaço para poder de novo conseguir contar as minhas histórias.
Eu sei que não sou poeta, eu sei que não sou de ferro, posso até ter uma triste sina, mas a Vida está dar-me um sinal. Um sinal de que está na hora de seguir em frente. Um sinal de que a mudança tem de partir de mim!
Gritar para quê, se quem eu quero que me oiça nunca me irá ouvir?
Já é então tempo de jogar tudo ou nada, saindo deste labirinto que todos os dias me repete ao ouvido num som estridente: "Só mais um dia, só mais um pouco...!"
Basta!
Não há nenhum mal entendido.
No outro lado, não sei quem se encontra, mas deste estou eu, e eu não quero estar aqui, muito menos ser assim!
Nunca é tarde para sonhar, e sonhar sempre foi o meu ponto de partida. Agora, será o meu ponto de viragem.
O céu não pode esperar, e o que eu lhe quero dizer, é que o meu caminho é bem longe daqui, para outra margem, para outra pele...
Quem ama, tem retorno, mas quem é prisioneiro da memória, sofre, e há cicatrizes crónicas!
Há retratos que nunca vão ser queimados, e se eu voltasse atrás, queria saber aprender a não te querer um dia ter amado, ou pelo menos ter perdoado.
Ser ou não ser? Não, não é manipulação. Eu mudei, por trauma ou amor, mas não perco nem mais um sorriso, nem mais um traço de personalidade por amar!
Chegou a minha hora de tocar o céu, porque tu, tiveste o Mundo aos teus pés.
Fui de "Tudo ou Nada?" Talvez em mim um caso raro...
Fartaste-te de mim e das minhas tentativas de conversas, talvez agora te fartes de horas banais e vagas sem mim!
Quero ser vaiajante doutro tempo.
Quero ir para bem longe desta angústia e sentimento...
Quero ir para mim...
Quero ser o que era.
Quer despertar, e não apenas recordar, só por não te saber amar!

Expressões...


"Estou aqui!"
"És importante para mim!"
"Fala-me de ti..."
"Ouço-te...!"
"Fala-me de amor!"
"Tenho saudades tuas."
"Fizeste-me falta!"
"Não sei viver sem ti."
"Não vás!"
"Dá-me um abraço."
"Dou-te um beijo"
"És a minha vida!"
"Amo-te!"

Porque não o conseguimos dizer mais vezes, a quem realmente merece?
Diz hoje.
Amanhã pode ser tarde...
Não deixes bilhetes.
Não o guardes só para ti.
Não o tapes com timidez ou orgulho.
Sorri;
Chora!
Fala!
Sente!
Olhos nos olhos... 

À família
Aos amigos
Ao namorado
Á namorada
Ao apaixonado
Ao desconhecido

Basta sentir...

Dia 25 de Novembro: diz NÃO à Violência contra as Mulheres



Pele
Polo Norte

"Fechaste as portas do teu mundo,
na esperança de ele se encontrar,
vais contando o tempo quase ao segundo,
parece não querer passar,

Faz de conta que está tudo bem,
e andas ás voltas quando estás a sós;
gritos mudos que só tu entendes,
o profundo silencio que é a tua voz.

Não precisas de te esconder,
ninguém te vai encontrar,
o que está escrito na tua pele,
só tu para o decifrar,

REFRAO:
Num quadro teu, traço a pincel,
a história da tua vida,
escrita, sentida, tatuada na pele.

Quem lá, escreveu, com a tua permissao,
Nem sequer, nem sequer percebeu,
e perdeu, passou-lhe a pele por entre as mãos."

Arte Bela, viver!


"Viver é uma arte belíssima e extremamente complicada. Existir é uma experiência complexa que possui variáveis nem sempre controláveis. A pessoa mais calma vive momentos de ansiedade; a mais coerente, momentos ilógicos."

-Augusto Cury-

E se eu tivesse outra Vida?!


Hoje parei e pensei: "Porque perco tanto tempo a pensar como seria se eu tivesse outra vida?"
Não há outra vida!
Eu escolho a minha própria vida. Os meus próprios caminhos.
Os meus passos não são nada mais que as minhas atitudes, e os meus caminhos as minhas escolhas.
Por isso, a ver se páro de pensar "noutra vida" e aceitar esta que tenho. Porque ela é curta de mais, para que sejamos seres pequeninos dentro dela.
Sejamos grandiosos, e aproveitamos o momento, as pessoas, o sentimento, as oportunidade, o tempo, o presente...

...Porque amanhã já pode ser tarde.

E podemos nem sequer ter tempo de ter esta vida, muito menos de pensar em ter outra!

Afecto


"O afecto é o óleo que lubrifica as engrenagens da vida."

-Moura. C., (2011)-


Poema Fechado!


E se escrevesse um poema?
Um poema que em nada dissesse tudo?
Um poema em que todos compreendessem ora os meus defeitos, ora as minhas virtudes.
Um poema em que explicasse todos os meu erros.
Um poema em que exprimisse todos os meus sentimentos.
Um poema com forma de flor, mas objectivo?

Necessito urgentemente de procurar um refúgio de mim mesma, para encontrar uma explosão de criatividade para o conseguir produzir.
Preciso de concentração e controlar toda a minha emoção.
Procurar as palavras certas e sábias, que encaixem do belo à realidade!
Abrir horizontes de sabedoria e comer mais o nutriente da humildade.
Necessito de um incendiário, para que o meu coração se torne de forma explosiva um impulsionador de rimas e palavras.
Não quero uma relação doentia com os versos deste poema.
Quero escrevê-lo e divorciar-me dele, daí em diante. Pois ele só me servirá de desabafo e libertação.
Necessito de trabalhar com dois tipos de pensamentos ao mesmo tempo, pois não posso ser, nem demasiado racional, nem pouco emocional.
Poema que é poema, é sentido.
Mas este teria de ser um poema especial!
Quero libertar todo este imaginário que me consome, e organizar o meu sistema de loucura que não controlo.
Neste poema não quero contradições.
Neste poema não posso ser bipolar. Tenho de ser uma pessoa apenas...
Nele, nem o Tempo pode ser enigma.
Nada nele poderá ficar por resolver.
Não posso contrair dívidas nas palavras quando o escrever. Não pode ter pontos de interrogação, muito menos reticências...
Se sou a psicopata das palavras, então terei de me curar com elas, e para isso tenho primeiro que tomar consciência do débito que tenho com elas, para ver até que ponto posso ter crédito neste poema!
Serei poeta endividada eternamente?
Ponto final...
Serei eu capaz de escrever um dia o meu poema fechado?
A minha dúvida é a minha dívida por ser transparente e sentimental!
Tudo em aberto...
Tudo com reticências, contradição, emoção, sem rima... o meu poema impossível!
O meu fracasso... o meu inconsciente de inverdades!

Meu Mundo Tenso


Estou tensa!
Quero ir a uma farmácia e pedir um calmante!
Não! Quero ir ao Mar e sentir as ondas bater nas rochas.
Quero fala com a Lua.
Quero correr pelo campo.
Quero sentir-me livre.
Quero-me sentir uma criança...
Só por hoje.
Só por mim.
Para destruir esta tensão que me está matar!
Quero parar com este louco choro compulsivo.
Com esta hipersensibilidade.
Com esta carência.
Não quero mimos.
Não quero ninguém.
Quero-me a mim mesma!
No meu melhor.
Quero-me libertar.
Encontrar.
Acalmar...
Retirar deste mundo de Tensão...

Amar-te-ei?!

...Queria ter a certeza que te amo!

... Mas prefiro antes acabar com esta dúvida, de que se ainda me amo a mim mesma, primeiro...

O Maior dos Maiores


"Os discípulos de Jesus disputavam entre si para saber quem era o maior, mas para o Mestre maiores são aqueles que estão desprovidos de disfarces sociais, os que têm consciência das próprias loucuras e imaturidades, os desapegados da necessidade neurótica de poder, os que aprendem a dar-se aos outros."

- Augusto Cury-

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amor é Cruz?!


"Eu achei sempre que o Amor
 tinha o formato de um coração,
mas na verdade ele parece-se muito mais
 com uma cruz!"

-AUTOR DESCONHECIDO-

Entre o doce e o amargo


Posso dizer que não tive sorte em ter um passado doce!
Mas posso-me saborear em lutar por ter um açucareiro no futuro entre as minhas mãos...
O que seria do doce sem o amargo?
O que seria do corrimão sem as escadas?!
O que seria de um abraço sem um dia ter sentido a solidão?!
Todos necessitamos do oposto para viver.
Portanto, convençamo-nos de que amanhã possamos já cá não estar, para hoje a vida aproveitar!

Liberto-me...


...Porque os meus pés quando têm fome de liberdade...
...Eles parecem voar!

Lindo!


Bonito era viajar sem destino.
Era ter um lago só para mim.
Ler poesia ao som de violino.
E deitar-me de braços bem abertos.
Num mar salgado
Com uma guitarra solitária.

Lindo é música;
É poesia.
É o natural.
É o acaso
É a vida...

Lindo...
É ter a oportunidade de viver e poder ver as cores do Arco-Iris!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Nosso Começo

"Não me lembro mais qual foi nosso começo.
 Sei que não começamos pelo começo.
 Já era amor antes de ser."

-Clarice Lispector-

Mundo Suspenso


Vejo os dias sem cor.
As pessoas tristes.
O que se passa?
É do Tempo?
É da Crise?
Crise de Valores?
Ou é de mim, que vejo o o Mundo suspenso?!

É regra!


"Se obedeceres a todas as regras...
acabas  por perder toda a DIVERSÃO!"

-Bob Marley-

É bizzaro pensar assim?!


"Bizarro é algo bom.
O comum tem milhares de explicações.
O Bizarro dificilmente tem alguma."

-Dr. House-

Minha Beleza é Viver!


Um velho sentado num banco de jardim, ensina-me que a beleza é ciência... e que para a descobrirmos, não temos somente de nos estudarmos, de estudar os outros e a vida, mas de viajar também pelo Mundo. Pelo Mundo das contradições, pelo mundo das expressões de uma lágrima, de um sorriso, de uma vitória ou de uma frustração!
O velho sentado num banco de jardim não espera... O velho sentado num banco de jardim é o Tempo. E o Tempo ensinou-me ser Bela! Ensinou-me ver a minha beleza, a beleza dos outros, e a beleza da Vida!
O Tempo ensinou-me que o silêncio, a espera, a esperança, a fé, a luta, a calma, a tolerância, nos torna mais belos!
O Tempo ensinou-me que a expressão do sorriso é o melhor cosmético que existe para um novo amanhecer.
Obrigada velho sentado num banco de jardim.
Ofereço-te uma flor.
Ofereço-te um sorriso.
Ofereço-te a minha beleza.
Por Deus me oferecer a Vida e Tempo para Viver...

Monólogo sobre Negócio do Amor!


Ele pergunta: "Porque pensas tanto?!"
Ela questiona-se: "Porque pensas tão pouco em mim?!"
Ele não entende o porque dela fazer poesia...
Ela não aceita ele não ler a poesia que ela faz para ele...
Ela ama-o!
Ele sabe que ela o ama de mais...
É mesmo esse o problema!
O amor é como um negócio, e quando um dá mais do que recebe o negócio corre mal!

Amor que morre!


O som da música veio um dia para dar espaço ao silêncio!
Os objectos ao vazio de uma casa!
As expressões ao oco de um pensamento.
O silêncio faz parte do amor...
Mas amor que morre em silêncio, sem música, sem flores, sem expressões, sem diálogo, é amor que morreu...

Nada a Tudo


"Nada me prende a nada.
Quero cinquenta coisas ao mesmo tempo."

-Álvaro de Campos-

Eterna Insaciável...


Ouso dizer: "nunca estarei preparada!"
Aproximo as coisas distantes;
Salto barreiras.
De ofegante respiro ar fresco.
E digo para mim mesma
Que hoje é tempo de mudança!

Vejo os meus  mais pequenos projectos
Como se fossem grandes para a Humanidade...
Investigo o meu próprio pensamento
Mas às vezes acabo por viver apenas a superfície da minha Vida!

Nunca tive medo do desconhecido
Chamo-me curiosidade
E descarrega-me adrenalina
Nem todo o medo é prejudicial ao Homem
Mas eu só temo o que não devo...

Quero nutrir-me de segurança
Mas quanto mais o faço
Mais insegura me torno

E caio fugazmente
Neste mundo ilógico
De complexa emoção
E transformo-me a cada dia que passa
Em exigência maior
Numa filosofia mais elaborada
Em doces e complicadas sensações

Auto excluo-me desta sociedade robot
E arrisco-me a excluir-me completamente!

Quero apenas construir um terreno fértil
De verdadeiros valores e sentimentos
Quero terra fértil com prazer de viver!

Serei eu uma eterna insaciável da Vida?!

Minha Língua


Posso não ser especialista em navegar neste oceano de crises existenciais e escrever, escrever sabe-se lá do quê e porquê, apenas por saborear a emoção das metáforas de cada dia, como se a minha criatividade fosse inspirada no terreno da solidão das próprias palavras.
Sou eu que as faço, sou eu que as escrevo, mas não sei em que tom as pronuncio!!
Jamais a minha loucura se torna tão lúcida, quando transcrevo a minha emoção e os meus sentimentos em frases soltas, em busca de mim, nunca conseguindo esse mesmo objectivo que é encontrar-me... e nos vales mais profundos do inconsciente continuo mexer nas cicatrizes inesquecíveis e incuráveis!
Procuro entender o meu tecido, mas costuro as minhas bainhas de forma arrebatadora.
Não sei coser os buracos do meu coração, nem remendar todo esse vazio que me mata e não me deixa libertar!
Disseco a minha pele e procuro o significado da beleza de todos os sentimentos que em mim moram, mas o espelho teima em não me responder!
Se sou loucamente doente, gero palavras loucamente inatas e elaboro algo sem sentido, mas verdadeiramente sentido por mim!
Posso ser miserável em todos os cantos do mundo por onde já passei, mas o pouco que levo, levo em palavras, levo tudo traduzido nesta língua que para mim será sempre perceceptível: a língua da emocionalidade...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Espero que gostem da nova música do Blog


Porque ela gosta dos Coldplay e:

"When she was just a girl                     Quando ela era apenas uma garota

She expected the world                       Ela tinha expectativas com o mundo

But it flew away from her reach            Mas isso voou além de seu alcance

So she ran away in her sleep                Então ela fugiu em seu sono

And dreamed of para-para-paradise   E sonhou com o para-para-paraíso

Para-para-paradise                             Para-para-paraíso
Para-para-paradise                             Para-para-paraíso
Every time she closed her eyes            Toda vez que ela fechava os olhos



Ooohh                                                 Ooohh
When she was just a girl                       Quando ela era apenas uma garota

She expected the world                        Ela tinha expectativas com o mundo

But it flew away from her reach            Mas isso voou além de seu alcance

And bullets catch in her teeth                E balas foram pegas com seus dentes



Life goes on                                         A vida continua

It gets so heavy                                    Fica tão pesada

The wheel breaks the butterfly              A roda corrompe a borboleta

Every tear, a waterfall                           Cada lágrima, uma cachoeira

In the night, the stormy night                  Na noite, na noite da tempestade


She closed her eyes                             Ela fechou os olhos

In the night                                           Na noite

The stormy night                                   Na noite da tempestade

Away she flied                                      Ela voou para longe

And dreamed of para-para-paradise     E sonhou com o para-para-paraíso

Para-para-paradise                               Para-para-paraíso

Para-para-paradise                               Para-para-paraíso



Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh            Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

        
She dreamed of para-para-paradise      Ela sonhou com o para-para-paraíso

Para-para-paradise                               Para-para-paraíso

Para-para-paradise                               Para-para-paraíso

Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh           Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh


La-la-la-la-la                                         La-la-la-la-la
Still lying underneath the stormy skies     Ainda deitada debaixo do céu tempestuoso
She said oh-oh-oh-oh-oh-oh                 Ela disse oh-oh-oh-oh-oh-oh

I know the sun's set to rise                     Eu sei que o sol está pronto para nascer

This could be para-para-paradise          Isso poderia ser o para-para-paraíso


Para-para-paradise                                Para-para-paraíso

This could be para-para-paradise           Isso poderia ser o para-para-paraíso

Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh            Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh
This could be para-para-paradise          Isso poderia ser o para-para-paraíso

Para-para-paradise                               Para-para-paraíso

This could be para-para-paradise          Isso poderia ser o para-para-paraíso



Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh           Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh



Ooohh                                                 Ooohh



This could be para-para-paradise          

Para-para-paradise                            Para-para-paraíso
This could be para-para-paradise       Isso poderia ser o para-para-paraíso


Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh          Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh
Ooohh, oohh...                                    Ooohh, oohh...


Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh        Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh
La-la-la-la-la                                     La-la-la-la-la

Não rejeites a tua Solidão!


"Rejeitamos a ideia da solidão porque a vemos de forma negativa. Mas ela é fundamental para a construção das relações sociais. Sem solidão, viveríamos por instinto, não teríamos necessidade de afecto, compreensão, troca, abraços, elogios, apoio, busca de auto estima. Sem essa experiência, as rejeições e as discriminações não nos magoariam. As perdas não provocariam traumas e as decepções não produziriam lágrimas. Sem solidão não teríamos necessidade do outro. A solidão traz necessidades psíquicas imperiosas e complicações sociais."

-AUGUSTO CURY - in a sabedoria nossa de cada dia-

O simples para mim não existe!


Pinto quadros com a minha mente, escrevo livros com a minha alma.
Viajo com os meus pensamentos, páro no meio dos caminhos com os meus medos!
Faço dos meus olhares memórias e retratos sem fim.
Sou contadora de histórias.
E quando me sento ao quente da lareira, recordo sorriso e sal de lágrimas.
Construo castelos de areia.
Luto por ser forte como o ferro.
Mas derreto-me como a manteiga em sentimentos sem fim...
Com tempero, cozinho a vida assim... Ora doce, ora amarga, não sei nem quero descobrir o que sou!
Ando por essas vielas sem mapa.
Com bússula do sentimento, do amor, dos sonhos, da verdade e com as sombras de mim!
O simples para mim não existe!
Complico o que é fácil e gero conflitos em sentimentos fáceis que são muito díficeis em mim.
Confesso-o e não me engano, mesmo que às vezes pareça que acredito nas minha própria fantasia...
Eu quero ver-me assim.
Quero sentir o meu coração assim.
Sentimento nunca lhe há-de faltar.
Sensibilidade? Tenho-a para mim,para vender e dar...
Posso ter medo de ter este meu mundo aos pés.
Posso sentir frio e não me saber aquecer com os meus braços.
Mas é para isso que eu sou carente.
É por isso que preciso dos outros.
Para sentir o calor.
E sentir que sou desejada pelo defeito de ser assim!
Provoco reacções estranhas no amanhecer.
E gosto de sentir o prazer do reflexo do luar no anoitecer.
Amo o prazer do calor de um abraço.
Detesto o frio da despedida.
E não suporto a dor de um Adeus.
Sou fraca, e por vezes maquilho-me de alguém forte.
Mas não passo de algo de vidro que sonha ser de cristal.
E brinca na fantasia.
De castelos e princesas.
De sonhar e acordar...
De acordar e voltar a sonhar...
Mas o simples para mim não existe...
Podes-me perguntar porque sinto.
Podes-me pedir para parar de rir ou chorar.
Mas não o faço!
Sou emoção e vivo desta sensação...
Do prazer de ser assim!

Saber pouco de mim...


A única verdade é que existo.

É que umas vezes estou cá;

Outras me ausento do Mundo

E de mim mesma.
 
Sinceramente, não se se vivo o suficiente.

Quem sou?

Bem, isso já era querer saber demais!

sábado, 19 de novembro de 2011

Porque os Anjos Existem mesmo...


À espera do fim, sem esperança e de alma perdida, tropeço pela caminhada de um dia chuvoso nas asas de um anjo que faz renascer a minha vida!

Até então já nenhuma fantasia de letras de música, ou contos de fadas a fazia enxergar a magia do brilho das estrelas.
Ao redor, apenas envolta por energia que não interessa a ninguém, escuridão e frio, num lugar qualquer, num lugar perdido...
Os dias longos, sem sentido e sem vida. São dias por serem apenas dias, não são vividos, não são dignos de serem oferecidos a tal menina.
Passos entre pedras e florestas negras sem fim, numa ilha sem chão, num mar sem céu, numa tela sem tinta, num corpo sem rosto.
Amarras a prendiam e sinos a embalavam, chamando-a sabe-se lá para onde...
Só o aperto que ela sentia, e a vontade de desistir, que ela penetrou no seu sentido a faziam sentir algo que atenuava a dor, a dor de nada sentir, a dor de ninguém a compreender!

Escuro o Luar, há um grito no silêncio. E entre as gotas da chuva de prata, surgem as asas de um anjo, um anjo que dança na Terra, cúmplice de Deus e dos Céus, que estava ali para a ajudar a se encontrar...

Obrigada...
Porque os Anjos existem mesmo!

Eternamente


"Toda a vida,
 mesmo a mais efêmera,
pede para ser eterna."



-Claudio Magrin-

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Pinta Amor


"O amor pintam-no cego e com asas;
 cego para não ver os obstáculos;
 com asas para os transpor."

-Jacinto Benavente y Martinez-

Cumplicidade minha...


Amanhã quero olhar para o outro lado do Mundo e escrever um poema sobre o Amanhecer. Com cores suaves e cheiros doces.
Quero suavizar a tela do meu olhar e penetrar este mundo incandescente no meu coração de forma a memorizar o momento para o resto da vida.
Quero pegar na minha própria mão e pintar o céu com outra cor, quero pegar nos meus braços e abraçar-me, saindo da minha solidão. Quero pintar a minha sombra num tom tão claro, de forma a que ela me abandone não só no escuro, mas sempre, para que não me assuste nas minhas ausências.
Eu quero muita coisa, mas da teoria à prática anda um espaço louco de concretização.
Mas se não chego a querer, nunca conseguirei ter...
Sou como o Mar. Ora calma, ora louca, mas sei que não sou um caso perdido, apesar de gostar de me perder entre o sal das ondas.
Não tenho ciúmes da Lua por todos a contemplarem, mas falo-lhe dos meus segredos como se fosse a minha maior companheira!
Corri ondas e marés sem cruzar oceanos longínquos, sem velas e com ventos... serei eu... louca inata e incompreendida.
Mais que uma vez, tentei comprar maneiras de os outros agradar. Hoje não o faço, hoje sou eu, ligada  a mim mesma, à minha má pontaria para a sorte, à cumplicidade do meu corpo, e da minha própria maneira de ser.
Sou eu! Deitada em areias salgadas.
E a cada lágrima que derramo enriqueço o meu chão...
O chão da minha alma.
O chão de que sou feita...
Porque telhado, esse não o quero construir.
O que seria de mim, se me tapassem a vista para o céu, estrelas e lua?!