terça-feira, 30 de agosto de 2011

Renascer


Viver sem paixão pelas coisas, sem paixão pelas pessoas, pelo que fazemos e por nós mesmos é como tentarmo-nos aquecer a um fogo gelado.
É isso que fazemos constantemente das nossas acções: Condenamo-nos, congelando valores e sentimentos, sufocando a nossa personalidade com mudanças más que fazem com que nós mesmos não nos consigamos reconhecer um dia.
Querer sair do abismo que nós próprios desenvolvemos é um passo importante, mas não pode ser feito de qualquer maneira.
Força, coragem, fé e sobretudo acreditar que conseguimos mudar pequenas coisas que nos estão transformar negativamente.
A forma arrogante como falamos com os outros sem nos apercebermos, a forma como nos vemos ao espelho, a forma de sorrir e a vontade dimunuta de viver são sinais de que algo está acontecer nos nossos dias e dentro de nós.
Se a vida nos colaca de cabeça para baixo é para que possamos aprender a viver de cabeça para cima!
Renascer e dar vida aos nossos corações num novo tempo amadurece as nossas cabeças, mesmo que elas saibam que o destino é incerto.
Mas nada pode tirar a um ser humano a dignidade de sonhar! Mesmo quando se perde a esperança, temos de nos convencer que o mais importante na nossa vida é sermos felizes ao lado dos que amamos.
Nunca devemos achar que é o fim e que cumprimos todo o nosso destino!
O fim é ditado pelos céus, e nós apenas temos de o aceitar e suportar quando nos for entregue.
Até lá, vivamos a fábula da vida, com mitos e lutas constantes, façamos de cada dia um sonho de poder viver mais momentos.
Viver é uma dádiva, e os obstáculos são alimento que nos tornam fortes e resistentes.
Abrir os braços para voar e abraçar.
Abrir o coração para viver e renascer!

sábado, 27 de agosto de 2011

Tentativa

Hoje para além da racionalidade e sentimentalismo que me corre nas veias, apetece-me assistir a uma cena de tentativa, quer esta seja uma vez mais, falhada ou não. É como mudar o cenário da mesma cena em palco com as mesmas personagens.
Assistir pela milésima vez à mesma peça, muda apenas o tom de voz da personagem principal.
Já conheço os pormenores da cena... já decorei todo o diálogo e respostas ao suspense. 
Não falho qualquer sequência e ignoro o ponto de voz escondido na cortina vermelha!
Esta cena faz parte da mobília dos meus dias.
Prefiro não pensar que se irá repetir com os mesmos aplausos ou assobios!
É só mais uma tentativa...
Porque no fundo só estou à espera que o palco desmorone e mate estas repetidas cenas... e até mesmo as personagens!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Verdadeiro Amar


Todos sonham com um verdadeiro amor...
Porque todos têm medo de se desiludirem com um falso amor!

Verdadeiro amor existe?
Olhar para os olhos do amor, como se de um espelho se tratasse.
Reflectir, dar a mão e assim perder o medo...
Amar não é convidar, é partilhar o crepúsculo das noites de um único destino a dois!

Amor é o escudo que ultrapassa todas as épocas e vidas;
Amor brilha: como se não houvesse mais nenhum Sol no Mundo!

Para alguém se encontrar num amor de sonho deve acreditar...

Onde está esse carrilhão de cristal dos corações?

É amor...

Amor mágico que pelo eco do silêncio se repete todas as noites;
E se transforma em nova paixão todas as manhãs...

Contraria as leis do sono e transforma harmonia num lar!

Nada permite que acabe.
Amor não tem fim...
Amor é apenas um doce sonho!

Existe amor na realidade?!

Preço inconcebível!
Que todos querem comprar em troca de uns novos olhos...
Olhos que a dois que se amam não se perdem
Olhos que mudam a visão do amor.

Meu sonho: Acreditar num verdadeiro amor!
Viver um amor verdadeiro...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Metades


Só percebi que estava viva, quando abri a janela do meu quarto e avistei um Mundo por metade.

Metade do céu, metade de uma estrela, metade de uma nuvem, metade da lua, metade da noite, metade do dia... metade da Vida!
Saí para fora e olhei em volta! Queria ver tudo... Queria tudo por inteiro, mas só tinha metades!
Achava que sonhar alto era querer a mais. Achava que não teria direito a tudo e lutei apenas por pouco... Aliás... limitei-me aceitar aquilo que me aparecia à frente!
Mas estava na hora de perceber uma coisa: Só se dá o devido valor às coisas quando as perdemos.
E tinha chegado então o momento de testar as minhas asas e resistência que tinha para me suportar bem lá no alto!
O ar faltava-me e os meus ouvidos arrastavam sons incompreensíveis. Eram vozes daqueles que há uns tempos não queria sequer ouvir, e que neste momento me faziam tanta falta.
A qualquer altura poderia cair! Senti as mais incríveis sensações... Coisas que não se conseguem sequer imaginar nem descrever... era voar pela primeira vez e ter medo de cair...

Perdi muitas metades da minha vida: coisas valiosas, sítios memoráveis, pessoas que não sei se voltarei abraçar, oportunidades e até mesmo novas vidas.
Mas um dia ganhei muito: ganhei coragem de voar e ir em busca de metades que tanta falta me fazem: valorizar mais as coisas, ir a sítios memoráveis, relembrar pessoas que já partiram, lutar pelas oportunidades e reviver dia a dia como se fosse uma nova vida.

Apesar de ser mais seguro ficar no chão, por vezes é onde há mais perigo de nos magoarmos, e entre a Terra e o Céu é onde moram os maiores prazeres da vida!
Não importa onde eu vá, ou até onde consigo ir. Haverá sempre memórias que virão à tona "um dia..."!
Haverá muito a questionar e dificuldades em acreditar, por isso não me digas onde te posso encontrar.
Sei somente que é entre a Terra e o Céu que se vivem os sonhos, as realidades, as fantasias e felicidades...
Esta é a minha doce possibilidade imaginada. Mas se não sonhar e acreditar, no que me vou eu basear?!
Quando mais vivo mais aprendo, quando mais aprendo mais eu percebo que não sou nada!
A cada passo que dou, a cada página que eu viro ou rasgo, a cada metro que ando, a cada dia que respiro só me mostra o quanto eu tenho de ir.
Afinal, qual é o problema de eu querer mais?!
Se posso voar, então subo...
Porque com tanto que há, com nada que sou, porquê contentar-me com metades?!
Porquê contentar-me com migalhas, quando posso ter o bolo todo?
Eu estou viva: posso ouvir, ver e sentir!
E agora?
Agora só me resta voar!

Arestas

   
Posso parecer uma criança da forma como vejo as pequenas coisas da vida, mas por enquanto não tenho o meu Mundo em desordem. Apenas vou ter de aprender ignorar as minhas dúvidas e desviar-me desta falta de confiança.
    Hoje quero olhar em frente para conseguir provar a qualquer desafio que é tudo uma questão de Tempo.
    Sou uma fã do paraíso perdido e hei-de sempre acreditar em sonhos, mesmo que esses aos olhos dos que me rodeiam sejam rídiculos ou até mesmo impossíveis!
    Não quero dar ouvidos aqueles que me falam em "Impossível" ou me pronunciam que "Nunca vais conseguir"! Quero tocar nos meus sonhos, sem que nada me impeça. Porque a minha história é a mim que me pertence e o percurso dela depende maioritariamente de mim mesma, da forma como vejo a vida e do modo como faço a caminhada.
    Quero transformar o sal das minhas lágrimas em explosão de sorrisos.
    Quero limar estas arestas que por vezes me impedem de avançar.
    Só vou viver uma vez...
    Quero sonhar todos os dias como se fosse o último!

sábado, 20 de agosto de 2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Depende de como se vê!


"Metade de mim agora é assim: de um lado a poesia, o verbo, a saudade, do outro a luta, a força e a coragem pra chegar ao fim. E o fim é belo, incerto... depende de como você vê!"

Fernando Anitelli

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Coragem


Coragem é o alimento para se poder caminhar de forma a que os sobressaltos sejam amortecidos.
Mesmo com o mundo em desordem, um homem sem coragem é como uma criança sem sorriso.
O Homem tem de aprender a ignorar as dúvidas e convencer-se de que, nesta vida não existem problemas, apenas existem várias soluções, basta para tal, encontrar a solução certa. É como a chave na fechadura: única! E se essa se perder ainda nos resta a suplente!
 A falta de confiança leva muitas vezes a impedir o Homem de seguir em frente, e a coragem serve para provar que o "nunca" é desfeito com uma questão de tempo.
Quando nasce, o Homem chora... porque quem disse que acabou de chegar a um paraíso perdido?!
Não se pode dar ouvidos ao pessimismo, mesmo quando parece que se está bem lá no fundo do poço. É necessário acariciar os sonhos não permitindo que alguém impeça que isso aconteça.
Coragem é transformar uma lágrima numa explosão de risos, e ver a vida como passageira e rápida que ela é!
A história do Homem fará para sempre parte dele, e ele fará sempre parte dos sonhos de alguém...
Só se vive uma única vez, e nem se tem o direito de saber por quanto tempo.
O nome será sempre gravado na memória de muitas pessoas que cá ficarão, por isso que seja por uma boa razão. Que as lágrimas da partida sejam de orgulho e saudade...
Por isso é necessário ter coragem de acordar todos os dias, de ir trabalhar, de fazer sacrifícios. É necessário ter coragem  de amar, e sobretudo de compreender e aceitar as dádivas da vida, sejam elas quais forem.
Coragem é aceitar desafios, e nada melhor que o desafio de aceitar as dúvidas enormes que muita coisa e gente nos oferece! É um mero incentivo para ter ainda mais coragem.
Coragem...
É o que falta a muita gente que não consegue ser feliz.
Para ser feliz é preciso ter coragem!
É preciso ter coragem para nos mantermos vivos.
Viver e não apenas existir... Coragem!!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Olhos de Menina no Mar


Pela fina areia que faz companhia ao mar, as suas pegadas não voltam mais. Devoradas pelas velozes ondas, levam ventos, levam pensamentos.
De humildade e silêncio chegou, e até à água profunda mergulhou. Lavou pensamentos e sentiu que afinal o sal que as lágrimas soltas queimam mais que o sal do mar que cura.
A espuma é o espelho da mágoa das dores velhas por sarar... Mas é especial a menina, e um dia vai curar!
Cala a sua voz em injustiças, e sussurra no seu canto aos cavalos marinhos.
A canção que canta é composta pelo fundo escuro do mar, e as cordas da viola partiram por não querer mais nesta dor acreditar.
Mas não desiste a menina! Teima suas pegadas na areia gravar.
O mar conhece-a como mais uma moradora, ela conhece o mar como o melhor amigo e ouvinte.
Não fiques aí no refúgio da tua da própria solidão! Vai em busca de um barco sem vela, porque melhor que ninguém sabes o quão o vento te trama.
A voz antiga da atitude é o azul que confunde o mar do céu!
Vestida de sal de algas, senta-te num coral, que os habitantes das profundezas te irão encaminhar...

Num pequeno balão!


Eu não tive um balão cor-de-rosa quando chorei por ele.
Vivi em desertos e em cidades que tudo acontece.
E todos os meus balões de pequenas ilusões de criança estouraram.

Mas não me ensurdeceram... amadureceram-me!

Já tive férias de verdade.
Já me faltou companhia de "um amigo de verdade!"

Estive cara a cara com o mar, e contei muitos segredos às estrelas.
Já quis voar, e já caí quando o coração batia a um ritmo compassado.

Não pedi nada e tive muito.
Pedi tudo e não tive nada.

Fui presa à minha família.
Desiludi-me com amor de família.

Já tive amigos.
Já sofri mais por amizade do que por amor.

Já acreditei no amor.
Já quis deixar de acreditar nele.

Como uma vítima à minha fogueira, sinto-me tribal neste mundo...
Mas quem nunca amou uma história de índios?

Para mim ainda as fadas voam,
E vivo na ilusão de um dia vestida de branco experimentar a carruagem da Cinderela.
Sem meia noite, nem sapato de cristal.
Apenas com amor e magia...
Vivo assim: sem me importar de ter o vestido sujo
Desde que pertença a  histórias de guerreiros!

Pego na mão o meu balão.
Dentro dele tem memórias e fantasias.
Sinto esta utopia infiltrar-se nas minhas veias.

São sonhos...
Não pedi nada disto para mim.
Não é fácil viver assim...

Largo o balão...
Voa...
Voa louco de ilusão!

Volta ao Mundo


Quero contar até três;
Quero respirar e partir.
Quero-me libertar desta condenação
E dar a volta ao Mundo.

Quero Tempo e Espaço só para mim.
Quero Compreensão.
Quero menos dor e mais emoção.

Quero mais que isto!

Não posso chegar só "até aqui!"
Procuro mais...
Preciso de mais.
Mereço muito mais que simplesmente "isto!"

Sei que para curar as minhas feridas preciso mais de oitenta dias.
Mas tenho de dar a Volta ao Mundo.
Vou partir
Neste exacto momento!

Parto assim:
Sem passaporte
E sem ti!

Eu acredito que quando o sol nascer, eu estarei bem longe!
Vou embarcar agora, e viajarei lentamente...

Vou abandonar este cubículo que me tortura a mente e vou dar a volta ao Mundo...

Vou dar a volta ao Meu Mundo...

Ele vai girar!

Caia a Máscara!


As pessoas desconhecerm que as paredes do coração são tão finas
que daqui de fora se ouve tudo...
Gestos e olhares contraditório...
E a sinceridade?
Sinceridade...  o que mais admiro num Humano!
(talvez por isso me desiluda tanto!)

Ai se não fosse o meu Passado...


"Adeus passado!" seria a frase ideal para avançar contra esta maré que teima em me derrubar.
Se já deixei de vivenciar tantas realidade devido ao meu passado, porque é que não ganho eu coragem de começar a segunda parte deste espectáculo?!
Duvido que consiga sonhar tanto por amor como sonhei já um dia, mas preciso de purificar a minha alma, nem que para isso tenha de baixar as minhas guardas de sensibilidade e sentimentalidade puras!
Porque estou eu presa a um Tempo que faz há muito que já se foi?
A rosa do meu passado desvaneceu e morreu. De um vermelho vivo foi escurecendo para um negro cintilante...
Porque enfraqueceu ele o meu coração?!
Quero reencontrar um conforto de mim mesma, ter força que me conceda esta graça perdida.
Quero perdão pelos medos e cobardia...
Nem flores nem lágrimas enfeitarão toda esta solidão.
Mas um dia...
Um dia tudo irá passar!

Realidades...


"Um dia, todos nós vamos para a solidão de um túmulo. Uma criança com um dia de vida já é velha o suficiente para morrer. A morte é a derrota da medicina. Todavia, apesar das limitações da ciência, devemos usar todas as nossas habilidades, não apenas para prolongar a vida, mas para fazer dessa breve existência uma experiência inesquecível. Os médicos devem ser pessoas de rara sensibilidade, artesãos de emoções, profissionais capazes de ver as angústias, ansiedades e lágrimas que se escondem sob os sintomas. Caso contrário, tratarão de órgãos e não de seres humanos. Acima de tudo, os médicos, bem como todos os profissionais da saúde, devem ser vendedores de sonhos. Pois se conseguirmos fazer os nossos doentes sonharem, ainda que seja com mais um dia de vida ou com uma nova maneira de ver as suas perdas, teremos encontrado um tesouro que os reis não conquistaram."

AUGUSTO CURY - in "A SAGA DE UM PENSADOR

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Silêncio que dói!


"O silêncio
é às vezes
o que faz mais mal
quando a gente sofre."

Florbela Espanca

Corrida


Quando não se consegue avistar o horizonte de uma decisão ou de uma ideia em construção não quer dizer que a corrida seja longa.
Somos ofuscados pelos medos e pela falta de coragem, mas temos de ser fortes e entender que por muito longa que seja a corrida, nós iremos ter resistência para lá chegar.
Se o fim estiver próximo é porque numa passou de uma fantasia... nada é simples nesta vida, e o pouco que é saberá a isso mesmo: "a pouco!".
Se matarmos os nossos medos, compondo uma melodia, os passos serão mais leves ao som da música da esperança.
Não nos podemos comprometer com recordes de tempo, apenas jurar a nós mesmos que vamos conseguir alcançar a meta.
E a cada obstáculo, a cada ferida dos pés sensíveis e descalços regenera-se uma nova pele de fortaleza...
Pode não ser fácil, mas encontrar o caminho da luz não nos pode cegar, tudo temos de ponderar.
Sem pressa, passando velhas fronteiras, romantizar as habilidades de sobrevivência é a adrenalina perfeita.
Por cada paragem um poema, por cada partida uma cena, por cada cansaço uma raridade, por cada passo uma bela harmonia...

Para onde corres tu?
Em que direcção vais?
Não queiras o céu. Põe os pés na Terra...
Porque corres para mim, se nem tu mesmo te encontraste?
Estás demasiado cego para o caminho da luz enxergar!
Guarda na tua bagagem os teus mais distantes sonhos, um dia eles vão-te alimentar no percurso da tua corrida.
Não precisas de vender a tua alma, não precisas de boleia, não precisas de deixar objectivos para trás.
Nada do teu passado te pesará, se não passarem de memórias a tormento.

Não desistas com o suor! É o grande desafio da tua vida, toda esta corrida.
Desiste desses medos e apanha o próximo grande passo da tua corrida... é a tua Vida!!

Efeito Borboleta


Sozinha, sentada num jardim onde se ouviam vozes de crianças a baloiçar como música de fundo, inspirou um estado de alma em que lhe apetece não só mudar o oco da sua alma, mas como o seu próprio mundo.
Mundo esse que a acompanhou durante toda esta fase de instância.
Não quer criar um outro ser dentro dela, quer apenas transformar, mudar e sobretudo ter coragem de aceitar as transformações que a vida lhe oferece.

Quer deixar de ser humana por breves instantes e passar ser uma borboleta.
Quer abandonar a crisália onde tem sido prisioneira. Quer aprender a voar...
Libertar o corpo físico e ganhar espaço para uma nova alma.
Quer conquistar a liberdade dela mesma, um lugar no infinito.
Quer deixar de ser um bicho repelente e pintar-se de pó cheio de cor.
Não quer ser imortal, nem viver apenas vinte e quatro horas, quer somente renascer!
De ovo a lagarta, desta para crisália, sonha um dia ser Borboleta...

São as etapas de uma alma em evolução.
De uma metamorfose obrigatória para o crescimento e evolução de espírito.
Nasce uma ideia, lutando para que um dia se torne realidade.
Tem de tomar a decisão: morrer ou voar?!´

Deixa invadir-te por essa transformação, pois sem ela não haveria realização!

Agora basta apenas aceitar de mulher para borboleta se transformar...

sábado, 13 de agosto de 2011

Fogo


Numa noite quente, olho para a Lua e ela diz-me que há perigo na Terra.
Vejo-te correr e o teu pulsar nota-se no olhar!!
Num simples toque matei a saudade de te não te ter.
Pouco calor.
Terra arder!

O fogo corre ligeiro
E em mais uma noite pareço-te indiferente.
Peço aos céus um sinal teu
Mas o Tempo não passa
O vento brinca
E não me deixa apanhar-te!

Desvastação de espírito meu...
As cinzas, as memórias
A perda
As lágrimas!
Tudo em mim, escondido no meu mar que não apaga este fogo!

Já dorida pela descoberta de que nada mais vai mudar,
Um sonho de ter ter um dia irá perdurar!

Cansada desta corrida?
Ou pressa de me libertar?

Quero um renascer perfumado
Com aromas desconhecidos.
O verde irá brotar?!

Sabores meus e teus por descobrir...
Por enquanto és tu ainda o meu olhar
Num fogo a controlar!

São as tuas mãos que me amparam sorrisos tristes...

Fogo que não acaba...
Labaredas à vista!

Permaneça...
O eterno recomeçar.

É este o fogo
Pago apenas por te Amar!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Grito


"O que me preocupa não é o grito dos maus,
é o silêncio dos bons..."

Martin Luther King


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Atitude Dinâmica!


 Atitude errónea aquela que nos faz parar no "Um dia eu faço..." ; "Um dia procuro..." "Um dia falo..."
  "Um dia..." é quando? Amanhã ou depois? Porque não colhes aqui e agora a semente do "carpe diem"?
  Tornemos a nossa Vida em algo extraordinário. Não tenhamos medo dela, porque ela também não tem medo de nós...
  Dá-nos Vida mas quando chegar "Um dia..." pum!!! Sem aviso prévio ou explosão nos nossos timpanos, ela máta-nos!
  Sim, a Vida tem um fim e essa é a estúpida realidade da nossa árdua caminhada.
  Mas... quantas vezes parámos nós para pensar que somos nós que nos matamos aos poucos?
  "Tenho tantas coisas para fazer!"; " Não tenho tempo para nada!"
  Oh minha gente... nós derperdiçamos tanto tempo desta vida com actos inúteis...
  A dona de casa tem de engomar a roupa? Então que ponha a música bem alto e veja os actos domésticos como uma dança...
Vejam pequenos esforços da rotina diária como uma entrada no palco do teatro... sorriam sempre que têm de sorrir, chorem quando têm de limpar a alma, para que no final soam na memórias os aplausos de momentos bem aproveitados!
  O Ser Humano sem obrigações não teria essência...
  É duro passar o dia a tarbalhar e chegar a casa exausto sem vontade ou energia para fazer nada.
  Trabalhar não é um martírio.
  Obrigações não é algo negativo...
  Basta observarmos pequenos pormenores como se de últimos momentos de uma saga estivessemos assistir!
  Basta tomarmos uma atitude dinâmica perante todos os pequenos grandes momentos da Vida!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A Lua encontrou-me!


A Lua olha para mim, e eu fico com medo de voar!
Não... não me deixes ficar aqui parada contemplar-te...
Quero mais! Muito mais... mas não tenho coragem para soltar os pés deste chão!
Eu sei que sou apenas mais alguém, uma mera andante desta vida na primeira pessoa.
Ás vezes não tenho sinal de mim, mas hoje encontrei-me! A Lua encontrou-me...
No meu último degrau quero notícias de um novo caminho.
Mas não encontro o mapa da minha sina...
Resta-me seguir o meu jeito de ser, e ter coragem para voar...
A Lua encontrou-me, agora está tudo nas minhas mãos!

Energia Mental


Reflicto sobre a Energia mental, e questiono-me como o Homem deixa descarregar baterias de forma a que o auto-controle se extinga  até surgir uma explosão de inconsciente escondido nas profundezas!

Não conseguimos avaliar o aspecto da nossa mente, mas basta concentrarmos-nos no brilho do nosso olhar para entender que o sorriso não rasga tão genuinamente e posteriormente há algo lá bem dentro que se está deteriorar...

Se a nossa atenção se foca para outros aspectos do dia-a-dia sem ser o nosso "eu", é normal que a auto-estima vá diminuindo e que a espiritualidade diminua de intensidade, destruindo pouco a pouco pequenos alicerces de ordem comportamental e psicológica.

Devemos então abençoar as nossas reflexões e pensamentos, sem precipitação.
Deixar a boa energia para conseguir dominar a má, que destrói a razão e momentos.

Todas as riquezas que nos envolvem têm de ser descobertas por nós mesmos, e aproveitar a abundância de oportunidades que a vida nos proporciona para construir a própria magia de cada dia e cada momento nosso.

Os pensamentos por si só, na prática nem sempre funcionam, mas a profundeza do nosso ser consegue ir muito mais além disso...

Temos poderes, mas nem sempre os sabemos usar da melhor forma.

Qual o melhor remédio para uma lágrima?
Se não tens um abraço por perto, tens sempre a opção de um sorriso para ti mesmo!

Nunca te sintas só... porque é nas alturas da nossa solidão que vêm a melhor decisão... e é o melhor momento para recarregar energia mental!

sábado, 6 de agosto de 2011

Em Saturação "disto"!


Hoje não está em causa a falsa igualdade entre os homens.
Esta injustiça irritante começa por não me incomodar mais, pelo facto do conformismo adquirido pela saturante realidade contemporânea!

Preciso de procurar uma única coisa para encontrar muitas. E bastou-me perceber que vai ser sempre assim o resto da minha vida, para entender que não posso mudar o Mundo nem a sociedade em que vivo.
Resta-me acreditar no meu próprio pensamento e não confiar em ideais sociais...
Queria saber expressar a minha convicção latente de que o Homem está errado, mas nada poderei fazer por ele, sem antes fazer por mim mesma!

Posso estar cometer o erro de ser defensora de uma monomania anti-social, mas o meu espírito está ser absorvido por esta falta de carácter geral.

Posso não ter aptidão para mudar grandes coisas. Nem socialmente, humana ou politicamente falando, mas recomendo-me com forças para um dia consegui-lo!

Não constitui o meu alimento em mudar o chão onde piso, mas luto por renovar o ar que respiro. O nosso simples humor muda a nossa vontade de transformação e de luta constante por um Homem melhor.

Não sei o que é bom, mas sei o que é relativamente melhor que "isto"!

Observo multidões em guerra que se convidam para desgraça humana, acabando com valores que põem em causa todo o habitat desta humanidade em extinção.

Dizem que o homem evoluiu... até que ponto? Está ficar sem alma!!!

Servem-se valores somente por serem a capa de uma qualidade ou imagem social. Acabaram-se os valores inatos e humildes de cada um como homem à imagem de um Mundo representado por ele mesmo.
O egoísmo cresce espontâneamente, como se a raiva, rancor e inveja fossem adubo para esta semente em constante mutação.

É este o terror humano: a febre do melhor, sendo cada vez um homem pior...
Receio que esta motivação aumente com esta crise humana.

Porque apesar de ainda sermos novos na nossa aspiração, a liberdade para nos matarmos aumentou, permitindo destruir tudo o que há de belo em nosso redor.

Homem?
Qualquer dia temos de lhe dar outro nome...

Em saturação desta desumanização!

Chuva de Verão no Coração



Quem disse que os céus prometeram dias sem dor, ou frio sem momentos de calor?

A chuva no Verão não costuma trazer emoção... mas se cantamos e dançamos todos os dias ao som do Sol, devíamos celebrar esta quebra de ritual!

Bate no peito uma forte desilusão, como se o Verão nos traísse ao prometermos dias de calor.

Chuva de Verão... badalada triste no coração!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Estupida definição!


A maior estupidez humana é achar que os gémeos são duas pessoas iguais.
Ninguém é igual, nem semelhante a ninguém...
As comparações estragam os relacionamentos entre pessoas!
É como um olhar pela arte! Não há arte semelhante, e as obras copiadas têm sempre defeito.
As pessoas têm medo de ser diferentes! Mas porquê? Não sou mais nem menos louca ou normal por ser diferente. Tomos somos diferentes. Tudo depende da margem entre a aceitação e renovação de comportamentos!
Sou eu, de gema... e é com a veracidade de ser eu mesma que me aceitam ou não. E não, nunca vou ser bem aceite por todos, muito menos admirada!
Ser normal é secante, e anormalidade não se faz com estupidez, pratica-se com genuidade.
"Ser eu" não é um breve relato da minha curta definição de personalidade. É nunca pensar no que eu sou para quem sou. É ser sempre eu para todas as pessoas de igual modo, e a única camuflagem aceitável é a humildade!
Além das palavras de definição existem as sombras nossas que nem nós mesmos vamos conseguir desvendar.  
Pode não estar tudo nos nossos dedos, mas estará quase tudo no nosso coração!
A arma dura é não nos darmos a conhecer como forma de defesa, e depois vira-se o feitiço contra o feiticeiro e ai há uma distorcida definição.
Aparências...
Perdoa-me por ser poetisa com o verso errado sobre mim.
Mas se nem eu sei quem sou, como vou ter tanta certeza daquilo que tu és?
Celebro a vida com metáforas e palavras sagradas...
Para me esconder?
Para me tentar encontrar...
E não para agradar!

Impulso de Loucura!


Pára para pensar em que marés perdidas mergulhaste!
Não te chames louca esquecida. Porque foste tu que te esqueceste de viver...
A vida tem um dia para a morte, e não se saberá se a morte tem vida.
Por isso pára de ver a morte em vida e aproveita esta oportunidade que tens para viver!!!
Porque te proíbes de viver?
Porque te tormentas e te afogas em gritos e  lágrimas quando era o teu sorriso que despertava energia para os que te rodeavam?
Foste tu que deixaste que as coisas mais belas perdessem sentido.
Deixaste com que a loucura se apoderasse da tua alma, e obteve-te a ti mesma como troféu, manipulando os teus passos e sentidos.
Resta-te apenas o corpo: ossos e carne que cambaleante te arrasta pelos dias sem futuro.
Sem mereceres o mapa do destino, sombrio e degradante!

... Foi aqui onde mergulhaste aos poucos sem te aperceberes.
A tua alienação atingiu um ponto máximo e o extremo do teu descontrolo levou-te a cometer um erro fatal!
Foste em busca do que mais te magoava e inverteste isso aplicando-o à pessoa que te estava tentar acordar para a realidade.

Dói mais as feridas que te corroem o coração doem mais que aquelas onde cravas as unhas com raiva sem ódio.
Porque podes ser louca, mas não és má!

Pára de pensar nas fotografias que te saem pelas paredes do quarto assombrando os teus sonhos.
Pára de pisar sombras e levantar poeira do passado!
Pára de te roubar a ti e afastar os que te amam pelo que foste e não mais no que te tornaste, e insistes em não curar!!

A cura és tu mesma...
Agora pergunto-te: não tens saudades de gostar de ti? Não tens saudades que os que amas gostem e te admirem?

Podes ser um fascínio e tornaste-te num pesadelo!
Estás assim, mergulhada na loucura e solidão...
E a solidão adora companhia.
Sê companhia de ti mesma e encontra-te!

Isto foi além das tuas profundezas... é triste! Muito triste!
Não te envergonhes de estar assim. Envergonha-te antes de não quereres parar de estar assim...

A distância de ti e do teu Mundo permite a saudade e nunca o esquecimento.

E tu esqueceste-te de ti!!!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Quero ser esclarecida!


É pedir muito que me expliquem a dor por amor?
Que me façam compreender a traição?
Que me façam ser menos sensível?
Que me roubem um bocado de emoção.

Quero saber de que cor é o engano para poder mudar.
Quero que saber de que cor é a dor, para a poder apagar...

Quem pinta?
Quem pode apagar?
Será que algum dia vou ficar esclarecida?

Não digas nada!


No silêncio da noite os sonhos são pintados numa tela sem luz.
Todos temos o vício involuntário de fazer um resumo diário das nossas emoções quando nos deitamos ou adormecemos.
Não adianta fugir aos tormentos de 24horas, porque quanto mais se foge mais eles nos invadem o sono em forma de pesadelos.
É como se se tratasse da 5ª dimensão de nós mesmos. Perceber de uma vez por todas que para que os dias nos corram bem, temos de ser claros connosco para que as relações sociais corram pelo melhor.

A banda toca, e a nossa acção é a reacção involuntária do nosso corpo.
Danças? Ou balanças? O timbre da música penetra-te o corpo e arrepia-te a pele?
Relaxa e inspira a Vida!
Ser um Ser passivo de "deixa andar até Sexta e depois vou ter tempo para descansar e reflectir!" não é estar perdido. É não se querer encontrar e levar essa perda de si mesmo como uma bola de neve...
É mais que introspecção, que se não for efectuada baixa os níveis de auto-estima e auto-confiança!
É um espelho de água que deveremos efectuar como narcisistas diariamente.
É dormir sobre uma almofada de algodão confortável pelos actos que nos envolvem o corpo com lençol de seda!

Não fales dos outros. Fala para ti... Faz dos teus jardins proibidos momentos finais da solidão.
Não adies os problemas e procura resolução sem esperares muito dos outros e dares o melhor de ti.
Nunca digas que não consegues, mesmo quando estás prestes a desistir.
Nunca te sintas sozinho, mesmo quando estás só entre uma multidão.
Olha para trás, mas concentra-te onde estás agora!
E todas essas perdas que te fizeram sofrer, são memórias retidas para além do céu.
Gosta sempre de ti e não te fies pelo destino.
 Está tudo nas tuas mãos. Tens a responsabilidade da tua própria vida. Não lhe sejas passivo...

A resposta será sempre: "Saber de ti!" e quando te questionares o que fazer neste mundo e nesta vida, e a única resposta que consegues encontrar é: "Sei lá!" ou " Nada!, procura novamente o silêncio da noite e encontra nela todos os conselhos que ninguém te pode dar.
Porque se oferecer conselhos fosse bom, vendiam-se!

Só por ti... todos nós temos os nossos momentos maus.
Tu és assim, eu sou assim...
Mas não digas nada.
Oferece um sorriso a ti mesmo e não digas nada.
Não digas que estás sofrer, sem antes tentar encontrar uma solução!
Não durmas na cobardia de adormecer sem antes dizer algo a ti mesmo...
Concentra-te... e não digas nada!

E quando nos cansamos de nós mesmo?


Não é uma questão de estar farta do trabalho, do calor ou da chuva!
Não é a questão de estar farta de usar as mesmas roupas ou o mesmo perfume!
De estar saturada das mesmas pessoas que nos rodeiam diariamente.
Não é não poder ver mais o mesmo quarto ou a mesma cor das paredes.
De sentir sempre as mesmas sensações ou de cair na monotomia da rotina.

É estar farta de mim mesma.
Cansei-me de mim...
É normal?
Pior que isso é não ter vontade de lutar contra isso mesmo!

Angel

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Vôo de uma Estrela


Sigo o olhar da queda da estrela que me inspirava aquela noite.

Deitada no chão sinto-me como um pássaro livre.

Segui o teu vôo e foi ele que me levou até mim mesma.

Pisquei os olhos e ainda estavas lá!

Era pura ficção.

Era um sonho.

Era somente minha imaginação!

A noite não me incomoda, reconforta-me...

A razão é um fio de seda que está prestes a quebrar.

Como é que eu ainda sonho?
Como é que ainda falo de razão?

Sempre assim, com vontade de acariciar o céu.
De beijar as estrelas e abraçar a Lua!

O que é que ainda procuro se me basta ver o Sol nascer para sorrir?

Seguir o vôo de uma Estrela? Para quê? Viver em sonho e ilusão?

Como uma viagem ao fundo de mim...

Fecho os olhos e ela está lá!

A noite tem este poder estranho de modificar pensamentos, sentimentos e razões.

Boa conselheira? Ou amiga aventureira?!

Deixo-me ir.

Deixem-me sonhar!

O que ainda procuro?!
Um outro pedaço de céu...

Piscar os olhos e seguir o vôo de uma Estrela!

... Não é que as estrelas sejam realmente belas, mas cada vez que olhamos para elas lembramo-nos de alguém especial!!

Sinceramente

Mentira!

Medos



"Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo."

Fernando Pessoa

Hipocondria!


Peço trinta segundos!

Trinta segundos apenas para conseguir respirar fundo e dizer adeus a esta ansiedade!
Não quero esperar por algo melhor!  O que quero mesmo é alterar o meu próprio ego, para eu mesma conseguir tudo melhor...
Ter a capacidade de alterar o antes e o depois.
Ter a coragem de modificar contornos da minha personalidade que me perturbam e me impedem de avançar.
A calma seria a cura, mas embora doa a minha espontaneidade faz parte do meu mais profundo interior.
Não são meras arestas a limar... é uma nova forma que se teria de moldar!
São estes os meus erros diários por defeito...
É um estigma sem definição.
Sofro de hipocondria e faço filmes de alucinação.
Analiso-me bem lá do fundo, mas à medida que me vou lendo, deixo marcas pelo meu corpo.
Sinto a ilusão de conseguir mudar, mas não sei se estou disposta a mudar tudo ou até mesmo o pouco que me faz sofrer...
Facilmente fico louca com os contornos do meu pensamento.
Facilmente entro em estado de saturação com os medos que me perseguem!
Já devia ter passado a idade da estupidez.
Mas cada vez que toca a música da partida, sinto inevitavelmente que a vida não vale nada, que eu não valho nada!!
A prenda para mim não é a saudade. A saudade mata-me e o ponto de viragem é apenas numa sala de espera debaixo das estrelas, onde procuro outro sentido e me perco no desinpirado das lágrimas...
Na loucura da perdição desta obsessão por ter medo da perda...

Manipulação do Coração!


Não se consegue parar de rir!

Não se consegue parar de chorar...

Sonha-se acordado.

Acrescentam-se brincadeiras à própria maturidade!

Não é só amizade, não é paixão...

Perdão de traição?

Onde se está disposto mudar o próprio Mundo!

Um estranho que de repente entra no nosso coração...

Histórias comoventes.

Amor e perda!

Sentimentos hilariantes

Quando se atreve a seguir o que preenche o coração.

É isto o amor: a obra prima da nossa própria manipulação!

Antídoto de te Amar


Dizem que o Tempo cura tudo...

Os ponteiros do relógio comem o Tempo mas não devoram memórias nem dores!

Ainda me apetece pronunciar: "Bons sonhos meu amor!"

E neste erro inocente de perdoar o imperdoável, os pedaços de ternura ficam no ar...

As feridas não curam com o tempo e eu quero arranjar um antídoto para o veneno de te amar!

Amor e Chocolate


Uma história deliciosa de amor, luxúria e chocolate!

Pouco a pouco,
 à medida que as duras verdades das vidas de todos vão sendo reveladas,
todos nós  temos de enfrentar o facto de o chocolate não curar tudo e,
por vezes, fugir não é opção...