sábado, 15 de janeiro de 2011

Conta-me a tua verdade


Não é desespero.

É um direito.

Conta-me a verdade.

Quem tu és.

Quem elas são.

Quem eu para ti sou e fui.

Descreve-me a cor da tua sombra

Partilha os fragmentos do teu passado.

Eu sei que não foges por medo.

Eu sinto, que estás ali, num lugar bem perto das estrelas.

Mas há uma nuvem.

Não é mentira.

Talvez segredo.

Partilha comigo.

Conta-me com seriedade…

Um dia destes.

Quando tu quiseres.

Quando ambos conseguirmos.

Eu conto-te também a minha verdade.

Talvez a mesma ou semelhante.

Espelhos partidos.

Nunca em vão.

São amarras só nossas.

Sem cordas

Mas que nos prendem.

Não me escondas mais tudo o que te atormenta.

Não te escondas

Conta-me apenas a tua verdade…

Só a mim!

...por Ti

5 comentários:

  1. Tantas vezes sentimos necessidade de pronunciar as palavras que li aqui...
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Muito bom essa brincadeira de contar a verdade particular para que ambos possam se deliciar!

    ResponderEliminar
  3. "Barraco Das Ideias", contar a verdade sobre nós nem sempre é uma tarefa fácil... Talvez com esta brincadeira de metáforas, seja um incentivo para isso :)

    ResponderEliminar
  4. "Juci", talvez sentindo-nos da mesma forma, com esta dificuldade de aceitar a nossa própria verdade, ou ser dificil compreender e aceitar que pessoas de quem gostamos não nos contam a total verdade sobre elas sentimos esta necessidade de pronunciar palavras semlhantes, po sentimentos identicos...

    ResponderEliminar
  5. Muitos parabéns esta perfeito ;) gostei muito :)

    ResponderEliminar